Este site pertence a Leopoldo C. Baratto, fundador e coordenador do PlantaCiência. 2019.
Buscar
  • plantaciencia

Florestas medicinais e etnoquintais em comunidade indígena de Santarém, Pará

Um levantamento realizado por pesquisadoras da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) demonstrou a rica diversidade de espécies medicinais utilizadas por indígenas da etnia Munduruku da região do Planalto, próxima à zona urbana de Santarém, e traz a proposta de implantação de áreas de plantio com fins medicinais nos territórios indígenas. Os resultados foram relatados no artigo “Traditional Knowledge of Forest Medicinal Plants of Munduruku Indigenous People – Ipaupixuna”, recentemente publicado no European Journal of Medicinal Plants. A pesquisa faz parte do projeto “Agrotecnologias para comunidades indígenas: um instrumento para a agroecologia”, que conta com financiamento da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) e é coordenado pela professora Patrícia Chaves de Oliveira, do Instituto de Biodiversidade e Florestas (Ibef). A partir do levantamento etnobotânico, foram identificadas 88 espécies de plantas usadas pelas famílias da aldeia Ipaupixuna, no planalto santareno. “O levantamento etnobotânico é um diagnóstico do conhecimento tradicional dessas populações indígenas acerca da flora útil às mesmas”. As espécies medicinais ocupam a maior parte dessa lista e apresentam grande diversidade: são 68 plantas distribuídas em 39 famílias botânicas e com 30 indicações terapêuticas. O cumaru (Dipteryx odorata (Aublet.) Willd), o jucá (Caesalpinia ferrea Mart. Ex Tul.), a manga (Mangifera indica L.) e o limão (Citrus limon (L) Burm.) foram as espécies com maior frequência relativa de citação (FRC) pelas famílias indígenas. A planta considerada com o maior valor de uso (VU) pela comunidade é o malvarisco ou folha-grossa (Plectranthus amboinicus Lour. (Spreng)), usada para tratar tosse, gripe, asma, inflamações, lesões, vermelhidões e para limpeza dos olhos.


Malvarisco ou folha-grossa, considerada a planta medicinal mais importante para os indígenas da aldeia Ipaupixuna.

Clique aqui para ler a reportagem na íntegra.

0 visualização

Posts recentes

Ver tudo

© 2019 Desenvolvido por Leopoldo C. Baratto, coordenador do Projeto "PlantaCiência".